Diretorias de Socialização e Ressocialização

CESB - Confederação do Elo Social Brasil

CNPJ: 08.573.345/0001-46

A importância da diretoria de Socialização e Ressocialização do Programa Social do Cidadão estão inseridas em nosso lema que é “Socializar as crianças e os jovens para no futuro para não termos que ressocializar os adultos” Somos especializados no combate... Continuar Lendo.

 

As atribuições de um Diretor de Socialização e Ressocialiação dentro do projeto Social do Cidadão.

A importância da diretoria de Socialização e Ressocialização do Programa Social do Cidadão estão inseridas em nosso lema que é “Socializar as crianças e os jovens para no futuro para não termos que ressocializar os adultos” Somos especializados no combate da criminalidade e não do criminoso, já que, este deve ser combatido pela polícia e pelas políticas criminais e não por nós através de atividades sociais. A socialização pode ser definida como o processo contínuo de aprendizagem e de interiorização de normas e valores, característicos de um determinado meio social, ao qual um indivíduo faz parte.

 

Tem como objetivo a integração do ser humano à sociedade, e é um processo que nunca se dá por terminado e é exatamente esta a função da diretoria de Socialização do Programa Social do Cidadão, o que se fará, prioritariamente aos familiares dos encarcerados da região de abrangência da sede. É através da socialização que um indivíduo se torna um ser social, pensante e atuante, devido a assimilação da cultura, das normas, dos comportamentos e das condutas do grupo social em que está inserido.

 

A socialização de um indivíduo tem início ao nascer, pois já encontra um grupo social estruturado, e é ao nascer que começa a receber uma série de influências desse grupo onde nasceu, as maneiras de falar, de vestir de comer, como tantas outras, e à medida que vai crescendo essas influências que recebe vai se unindo com tantas outras que vai adquirindo no decorrer de sua vida, fazendo com que se integre cada vez mais como membro dessa sociedade. Sem o contato com um grupo social, dificilmente será desenvolvido neste indivíduo as características consideradas humanas, como foi visto no filme “Victor, o Menino Selvagem”, onde um menino de uns 11 a 12 anos vivia na floresta, há mais ou menos 7 anos.

 

Quando foi capturado, verificou-se que não sabia falar, tinha hábitos anti-sociais andava como um quadrúpede e sua face não mostrava qualquer tipo de sensibilidade, o que mostra nenhum tipo de comportamento humano, justamente por estar em constante contato com os animais da selva. Esse menino, teve seu aprendizado prejudicado justamente por ter ficado longe do convívio social no período da infância, onde há uma facilidade maior de aprendizagem.

 

Vivemos isto no dia a dia no Brasil, já que a qualidade das escolas vem caindo sensivelmente o que não é diferente da passagem de experiência dos pais para os filhos que a cada dia esta menor do que era no passado, devemos levar ainda em conta a forte presença das mídias sociais e da figura do Google, já que, hoje não se consulta mais os pais e sim o Google, aonde se encontra todos os tipos de explicações inclusive às erradas.

 

Ao longo de toda sua vida, o indivíduo participa de inúmeros grupos sociais, o primeiro deles e o mais importante, é a família. É no seio familiar, que o indivíduo tem o seu primeiro contato social, onde poderá desenvolver suas habilidades e obter conceitos de regras éticas. E é a partir desse contato, que lhe é inserido valores, costumes e tradições, que passam de gerações. A família é o primeiro espaço onde cada indivíduo se insere, e é onde irá aprender a viver, e ser uma pessoa. É no ambiente familiar que se inicia o processo de socialização de cada indivíduo, que o leva a se relacionar com a comunidade.

 

A família tem um papel determinante nos primeiros anos devida, pois é onde as crianças adquirem a linguagem e os hábitos do seu grupo social, contribui também para a base da personalidade, e tem grande influência no comportamento da criança que vai se refletir na sua vida escolar. A escola é outro grupo também muito importante no processo de socialização. Nesse ambiente, as diferentes maneiras de interação social, denominada “relação social”, é fundamental para o desenvolvimento do ser humano.

 

A convivência com diversos indivíduos, mais especificamente crianças, de diferentes valores e costumes, faz com que o indivíduo vá construindo padrões de comportamentos próprios para interação com cada grupo, e consolidando seus valores, e determinando suas escolhas. Através das atividades proporcionadas, é estabelecido uma capacidade única de agir e pensar sobre as situações vividas. De acordo com as experiências adquiridas, a escola tem o papel de formar um cidadão e prepará-lo para a vida em sociedade. Mas, atualmente há situações que se refletem do processo de socialização vivido pela criança no período escolar, os ataques às escolas por adolescentes. Muitos destes, tiveram a triste experiência do bullying, uma forma de agressão que se dá através de ameaças ou mesmo da concretização da violência física, e que acontece no espaço escolar.

 

Os agressores são geralmente pessoas pouco simpáticas, que pertencem às famílias desestruturadas, em que o relacionamento familiar tende a ser conturbado ou até mesmo precário a níveis afetivos, por outro lado as vítimas são pessoas inseguras, tímidas com pouca ou até mesmo nenhuma capacidade de cognição. Por outro lado a diretoria também atua na ressocialização de encarcerados o que é feito através de seus familiares, já que, nesta modalidade de diretoria não se tem contato com os encarcerados e sim única e tão somente com seus familiares que entendemos devem ter a sua socialização reforçada para assim evitar que sigam o mesmo caminho de seus antes queridos. Familiares de encarcerados residentes na região de abrangência da sede, serão cadastrados e terão atendimento prioritário, sempre incluídos nos cursos de cidadania, auto estima e profissionalizantes por antecipação e aquelas famílias que seguirem as regras do Elo Social, quando posto seu familiar em liberdade este também terá atendimento prioritário nas sedes do Programa Social do Cidadão. Os atendimentos aos que se encontram encarcerados, ocorrem através de nosso projeto denominado Elo Social Carcerária, www.socialcarceraria.org.br que é feito por outra instituição também sobre o comando da CESB – Confederação do Elo Social Brasil através de correspondência.

 

Esta instituição atua apenas enquanto o mesmo estiver encarcerado, não tem do posterior a sua liberdade nenhum tipo de contato com o mesmo, vez que se ele não é mais um encarcerado, não pode ser assistido pela Social Carcerária e sim deve ser assistido pelo Social do Cidadão, o que será feito através do diretor de Socialização e Ressocialização. Infelizmente na parte de ressocialização nossa única frente de trabalho é por correspondência através da Elo Social Carcerária mas temos ciência que o sistema penitenciário brasileiro padece com o descaso dos poderes competentes, com a falta de efetivação dos preceitos da Lei de Execução Penal, que possui como um dos principais objetivos a promoção da ressocialização dos condenados e a consequente reinserção destes ao convívio social.

 

Uma das formas de proporcionar um retorno saudável do reeducando a esse convívio com a sociedade é por meio do trabalho, aproveitando-se do período de cumprimento de pena para proporcionar a qualificação profissional do preso, para que, ao se tornar um egresso do sistema prisional, este possa encontrar facilmente um meio de prover seu sustento e o de sua família por meio do trabalho lícito, no entanto a lei brasileira não obriga o trabalho e o estado não vem demostrando ter capacidade de seduzir o empresário a investir na força de produção que existe dentro de uma penitenciária.

 Diretoria de implantação de projeto: Endereço: Rua Cecília Bonilha 145

Instituição responsável: Confederação do Elo Social do Brasil

São Paulo (Capital) - Telefone: +55 (11) 3991-9919

"Movimento Passando o Brasil a Limpo".

© 2019 - Todos os Direitos Reservados