Buscar
  • webelosocial

LEI QUE REGULAMENTA RESPONSABILIDADE DOS PAIS PELA EDUCAÇÃO DOS FILHOS


GERAR UM FILHO E NÃO SABER CRIAR, PODE VIRAR PRISÃO PERPÉTUA


Vivemos em um país aonde ninguém pode ficar encarcerado por mais de 30 anos, no entanto, parir um filho hoje pode dar uma condenação maior do que esta.


Por exemplo, se você cometer vários delitos e pegar 200 anos de condenação em regime fechado, poderá depois de 30 anos ininterruptos ganhar sua liberdade sem nada dever para a justiça, com direito de ir e vir e sem qualquer restrição, podendo retomar sua vida e ainda ser uma pessoa totalmente feliz.


Já se você parir um filho, o qual provavelmente não conseguirá terminar de criar antes dos 40 anos de idade, sua condenação não é de apenas 30 anos, é prisão perpétua.


Os filhos hoje não querem mais sair de casa, querem tocar a vida só com os prazeres que ela oferece, e para os pais ficam as despesas e as responsabilidades.


Roupa lavada, casa arrumada, comida na mesa, quarto para dormir e para trazer o namorado ou a namorada: Casar para que, se tem o pai para arcar com as despesas e responsabilidades do lar e a mãe para cuidar das responsabilidades domesticas?

Onde se encontra empregados tão comprometidos com o resultado e tão baratos como estes?


Os homens fazem filhos fora e trazem para os pais os problemas que fatalmente dão filhos fora do casamento tradicional, guerra entre novos padrastos, novas namoradas, horários de visita, e outros problemas mais.


As mulheres trazem logo para os avós criarem, afinal ela já passou dos trinta e não pode ficar sem filho, pode até ficar sem marido, mas sem filho não, fato que não pode atrapalhar a carreira profissional dela e o montão de problemas que ela arrumou, nos quais os pais não têm nada a ver, mas acabam pagando a conta, afinal ela tem que continuar vivendo e também buscando o homem certo para segurar esse BO que ela arrumou que se chama "filho sem pai".


Nesta caminhada poderá gerar mais alguns filhos sem pai e assim aumentar a condenação por prisão perpétua destes que eram apenas pais com filhos sem ter terminado de criar e agora tem netos para criar.


Neste caso a família deixa de ter uma condenação por prisão perpétua para ter duas condenações, por prisão perpetua, já que, nem terminou de criar os filhos e já tem a responsabilidade de criar também os netos.

Desta feita são 40 anos para os filhos e mais 40 anos para os netos.


Não se pode mais viajar, namorar, ir ao cinema, desfrutar dos anos e anos de trabalho, fazer uma viagem, pois netos têm escolas e todas as responsabilidades que já se tinha vivido com os filhos ressurgem através dos netos.


Como a felicidade de um pai e de uma mãe está automaticamente atrelada a alegria que filhos e netos podem proporcionar. Esse casal que teve os filhos e não soube criar nunca mais vai ser plenamente feliz.


Se pararmos para pensar, perdeu todo seu tempo preso em regime fechado enquanto que filhos e netos curtiram a vida toda.


Não é possível que o prazer de ver a carinha de uma criança quando acaba de nascer, ver seus dentinhos aparecerem, ver aprender a andar e correr pela sala tenha um preço tão alto a ser pago.


Francamente prefiro o tempo onde as filhas com 15 anos iniciavam seus enxovais e aos 20 se casavam, davam aos pais o prazer de entregá-las ao noivo no altar e verem gerar netos saudáveis e bem criados sem qualquer risco de prisão perpétua, visitando nos dias dos pais, natais, ano novo e finais de semanas alternados só trazendo alegria e felicidade ao lar dos avôs e depois voltarem para suas casas.


Aos 20 anos se não estivesse casada ou para se casar já era considerada uma “titia”, fato que hoje serve de piada para as mulheres que priorizam suas carreiras ao invés de sua vida/carreira, se esquecem que dá para fazer as duas coisas ao mesmo tempo, ou seja, ter uma vida saudável, constituir uma família e mesmo assim ter uma carreira sólida.

Quando estão beirando os 30 anos fazem a famosa produção independente e condenam pais e mães a renunciarem suas vidas para ficar dando suporte à levianidade que tiveram pela não escolha certa do pai do filho que normalmente é filho de uma aventura, e filhos de aventura não são como filhos de casamento, trazem sempre junto com eles os velhos problemas de convivência.


Os homens de hoje também não tem mais o perfil dos de outrora, já que com a facilidade de terem mulheres a hora que quiserem, na casa que quiserem, ou dos pais dele ou dos pais dela, crendo ser desnecessário o casamento para ter uma mulher e desta forma ficam de prazeres em prazeres, quando dão sorte fazem poucos filhos, quando não, fazem verdadeiras ninhadas, aumentando o numero de prisões perpétuas.


Não me critique, pois você que está lendo esse meu desabafo certamente não tem nenhuma condenação por prisão perpétua e o que é melhor, não conhece também ninguém que tenha, desta forma esta minha reflexão não pode lhe trazer nenhum tipo de aborrecimento, sendo assim, não se sinta ofendido nem a comente.. rs rs rs rs


Se você está solteiro, divorciado ou viúvo, preste a atenção: quando for arrumar um novo relacionamento, procure saber se a mulher escolhida não tem condenação por prisão perpétua, fato que serve também para as mulheres, já que tem homens também com condenações perpétuas.


Depois não adianta reclamar, pois o casamento é um kit e os filhos cuja criação não ficou pronta acabam vindo junto com seus problemas insanáveis e inseparáveis.

Avalie antes, pois a felicidade pretendida poderá nunca ser alcançada.


“Simples Assim”


Jomateleno dos Santos Teixeira 27/06/15

200 visualizações1 comentário

 Diretoria de implantação de projeto: Endereço: Rua Cecília Bonilha 145

Instituição responsável: Confederação do Elo Social do Brasil

São Paulo (Capital) - Telefone: +55 (11) 3991-9919

"Movimento Passando o Brasil a Limpo".

© 2019 - Todos os Direitos Reservados